segunda-feira, 2 de junho de 2008

Sonhos de boneca.




Ela ganhou a boneca.
E a boneca olhou pra ela
O plástico confundiu a visão
Impediu de cativa-lá, comove - lá.

Sou boneca sem casa
Com tanta casa vazia por ai
Tantas crianças para brincar.
Tantos brinquedos pra uma criança só.

Seria o egoísmo algo hereditário
Ou será que faz parte da brincadeira?

Minha casa esta lá embaixo
E eu aqui na prateleira
Minhas ruínas tão ruins
Quanto os que aqui me isolam.

Ah mais e daí?

Uma boneca não é de verdade
E ela já tem tantas outras.
Que talvez seja mesmo verdade
Talvez nada seja insubstituível.
Talvez pouco seja o combustível
Para esta locomotiva que não se comove.

E acima da casinha cor de rosa
A prateleira continua vazia
E já não há vagas
Milhões de bonecas em suas embalagens lacradas
Várias bonecas com estórias a serem narradas
Coleções de historias esperando para serem interpretadas

A criação perfeita e personalizada
A divina criação emborrachada
Em vários tamanhos e cores
Esquecida em estantes, armários.
Ausente de dores e amores
Sonhos plásticos em mostruários.

E assim permanece na caixa.
Onde a infância passa e o tempo não passa.
Onde a imortalidade é um ócio que dói.

Na loja, uma possibilidade.
Nas ruas a vontade.
Em casa o desperdício

Em casa, a esperança de “viver”.
Como gente grande, com gente “pequena”.
Ou quem sabe apenas ser por um momento
Guiada pelas mãos de uma fada verdadeira.
Sendo ela mesma algo diferente do que é

Karina S. Borges
02/06/2008

10 comentários:

Miss PI disse...

Lindo e triste... amei seu blog!
Beijos!

Byers disse...

Caramba, Karina, esse texto ta muito bom !!! Ta diferente, mais coeso, claro, as rimas se encaixaram muito bem, está linear!!! Pela primeira vez leio um texto seu com total linearidade !!!


Isso so veio a mostrar que vc tem talento e esta melhorando a cada texto.Meus parabens.


Sobre a poesia, eu acho que so faltou padronizar a quantidade de versos nas estrofes.

Cada estrofe tem uma quantidade diferente de versos....não que isso seja errado, é até "moderninho", mas eu sei que se vc tentar vai ter tecnica suficiente pra tentar algo mais "profissional".


Sabe, seguir oitavas, sétimas, rimas baseadas em vogais tonicas.Bla bla bla.

Maravilhoso!


Só não posso dizer o mesmo do horroroso e famigerado fundo preto!


É isso ai, divulgue. Não adianta ser bom se não é conhecido.

Você sabe, galinha é mais querida pq bota ovo e grita, a pata bota ovo e fica quieta, a ema, bota um ovão arregala os olhos e enfia a cabeça debaixo da terra...

Erika CastrO disse...

Valeu pelo coment. láá !!=D
Seu blog é muito fofo,meigo!Adorei!

Beijão!

Viviane disse...

Ta bom vai...eu comento! rsrsrs
isso só é dificil pq eu já não tenho mais criatividade p/ elogiar seu blog...
gostei, achei a foto triste mas ficou mto lindo, combinou direitinho..rs

"Eu gosto de Bonecas,mas ñ tenho nenhuma...será q essa menina faz uma doação?" rsrsrs

Beijos, te amo maninha Si3

Wander Veroni disse...

Oi, Karina!

Lindo poema e profundo. Adorei o modo como vc custurou os assuntos.

Aqui, quero lhe convidar para passar no meu blog, o Café com Notícias.

Abcs,

=]
__________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Jana Moraes disse...

Lindinho...
Cheguei a ficar sem ar..

Passa na Maçã e dê uma mordidinha...

Você não vai se arrepender.

http://macacomlimao.blogspot.com

Juliana disse...

Aiin nem sei mais o que comentar;
como sempre está fabuloso biduziiinha!

*____*



Beejo, te amo sua chata!

estrondo disse...

Teus poemas são existencialistas...gosto muito!

http://estrondo.wordpress.com/

Hector disse...

Hoo! "A criação perfeita e personalizada
A divina criação emborrachada
Em vários tamanhos e cores
Esquecida em estantes, armários.
Ausente de dores e amores
Sonhos plásticos em mostruários"... Meigo, mas com muito conteúdo. Que inspiração moça!

Victor Adlung disse...

Esse texto me lembra uma música do DM...
Any Second Now...

;*